fbpx

Agronegócio amplia uso de assinaturas digitais

Tecnologia proporciona segurança, reduz custos e facilita a vida das pessoas e empresas.

Após mais de um ano de pandemia e inúmeras adaptações nas rotinas, a tecnologia ganhou ainda mais importância e se tornou uma poderosa aliada nos afazeres diários. Para que os negócios continuem sendo realizados com confiança jurídica e preservando a saúde dos envolvidos, as assinaturas digitais se popularizaram na vida das pessoas físicas durante a pandemia.

A funcionalidade permite assinar quase todos os tipos de documentos e contratos, a qualquer hora do dia e da noite sem sair de casa e é recomendada a todas as classes sociais – especialmente quem deseja organizar a vida financeira, evitar a exposição desnecessária na rua e ainda economizar tempo e dinheiro.

Isso porque, com apenas um procedimento, já é possível assinar milhares de documentos ao longo do ano. Assim, evita-se gastos em cartórios, deslocamentos de ônibus ou carro, estacionamento, motoboy, filas de espera, aglomerações ou impressões de papéis.

“Mais de 500 serviços públicos já utilizam e aceitam as assinaturas digitais em suas atividades. Num dos cálculos realizados, notamos que os brasileiros desperdiçaram 146 milhões de horas por ano em deslocamentos, filas e burocracia. Com a tecnologia, a vida ficou mais fácil”, explica a explica a sócia-diretora da Ative Certificado Digital, Paula Renata Nogueira.

Por enquanto, a assinatura digital só não é aceita em quatro situações: registros de nascimento, certidão de óbito, escritura de compra e venda de imóvel e em registro de imóveis.

Exemplos práticos

O produtor rural Francisco Souza Azevedo utiliza a assinatura digital para agilizar as transações e os negócios que envolvem a Fazenda Chão Vermelho, na região de Londrina, norte do Paraná.

“Compro insumos, peças e combustível para as máquinas agrícolas sem sair de casa. Assino toda documentação digitalmente e ganho tempo nas atividades”, explica.

Outro exemplo envolve a BRF, que reduziu em 72% o tempo de formalização de contrato, de 25 para 7 dias. Como atua com cerca de 5 mil fornecedores, a economia de tempo foi enorme e a produtividade cresceu.

Já a contadora Elicéia Josiane Mikos Cândido utiliza a assinatura digital desde 2013, quando abriu seu escritório. Com a tecnologia, ela resolve problemas complexos na Receita Federal e ganha agilidade na abertura de empresas – tudo de forma digital, sem precisar se deslocar. “Utilizo essas funcionalidades pelo menos dez vezes num mês. Isso ajuda e muito no resultado da empresa”, explica.

O círculo virtuoso começa a ocorrer quando um fornecedor é convidado pelo seu cliente a assinar digitalmente os documentos. Depois de conhecer o processo, a tendência é que esse prestador de serviço comece a implementar em sua própria empresa para então repassá-la à sua rede de relacionamentos.

Origem e crescimento do mercado

O mercado da certificação e assinatura digital existe há 20 anos no Brasil, mas o segmento ainda caminha para a maturidade e consolidação.

Atualmente, segundo dados do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, são 10.143.156 certificados digitais ativos. Desses, 5,2 milhões são de pessoa jurídica e 4,8 são de pessoa física. A expectativa é que, até 2022, existam cerca de 40 milhões de certificados digitais no Brasil.

Rápido, barato e seguro

O processo de obtenção de uma assinatura digital é rápido e pode ser feito por videoconferência. Com a documentação exigida, em cerca de 24 horas já é possível usufruir da tecnologia e assinar os documentos digitalmente.

Os procedimentos envolvidos no serviço são sofisticados, envolvem operações matemáticas que geram código único e um sistema de chaves criptografadas que impede fraudes.

Fonte: Agrolink – https://www.aarb.org.br/agronegocio-amplia-uso-de-assinaturas-digitais/?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=ICP-Brasil-bate-recorde-de-emissoes-em-abril